| PORTAL AGRESTE VIOLENTO

PM CONECTADO

Águas Belas (87) 99919.2115
Angelim (87) 99979.3204
Bom Conselho (87) 98101.7402
Brejão (87) 98101.8739
Caetés (87) 98146.4946
Canhotinho (87) 99612.2683
Capoeiras (87) 99629.3543
Calçado (87) 98116.4066
Correntes (87) 98134.0114
Garanhuns (87) 98139.1576
Jupi (87) 99962.2743
Jucati (87) 98111.2481
Lajedo (87) 98156.0805
Lagoa do Ouro (87) 991794150
Paranatama (87) 98121.5364
Palmeirina (87) 98143.4566
São João (87) 98116.1430
Terezinha (87) 98124.0865

Rádios e Parceiros

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Na última sexta-feira(13), a prefeita do município de Brejão, Beta Cadengue,  resolveu expor publicamente no centro da cidade, alguns veículos e equipamentos que foram deixados pela gestão anterior, e que segundo ela, foram deteriorados e sucateados. Alguns deles são irrecuperáveis e vamos estudar a viabilidade de um leilão, pontuou Beta.

Questionada sobre a repercussão dessa decisão, a chefe do executivo municipal,  revelou que não pretender criar um clima de revanchismo político, mas de conscientizar a população sobre a responsabilidade que um prefeito dever ter, em zelar pelo patrimônio público.

“ O que o ex prefeito fez questão de esconder, nós fazemos questão de mostrar ao povo, quando meu pai entregou a prefeitura em 2012, deixou tudo funcionando e em perfeito estado de conservação, destruir o patrimônio público constitui um desrespeito ao povo. Agora teremos pela frente uma missão árdua pra deixar a máquina pública funcionando de forma plena, atendendo as pessoas da maneira devida. Quero inclusive convidar a população para visitar os prédios públicos, pra observar de perto o estado em que se encontram algumas escolas e postos de saúde. É deprimente a gente olhar a situação de alguns deles”  relatou a prefeita em tom de desabafo.

Todas as irregularidades encontradas no município deverão constar no relatório de transição, que deverá ser entregue nos próximos dias ao Tribunal de Contas do Estado, a nova gestão comunicou que pretende apurar a situação com riqueza de detalhes e informações, para posteriormente formalizar uma denúncia, aos  órgãos fiscalizadores.

Para dar agilidade ao trabalho administrativo, a prefeitura deverá funcionar por um período ainda indeterminado, em um prédio localizado ao lado do mercado público, enquanto isso, será realizada uma reforma no prédio que até então, abrigou a prefeitura..

(Com informações da (Assessoria de Comunicação)

Compartilhe   

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Capitão Gílson,

Como pôde o senhor nos deixar em uma hora como essa?

Agora!? Assim!? Como!?

— Mas…

Mas o quê, Capitão?

Capitão, bem sabia o senhor do momento, que passamos. É preciso dizer que a violência se alastra e já domina tudo? Capitão, quem mais segura os homicídios? Os assaltos a bancos? Os roubos e furtos outros? Quem, Capitão? Quem mais segura essa violência doméstica? Pior ainda, quem mais segura esse banditismo nunca dantes registrado em anuários policiais daqui e além-mar, como atores tendo os “de cima”, e cujos crimes, com enorme reflexo, fazem os “debaixo” parecer meninos de rua, estes por mais vis que sejam? Capitão, quem segura? Jogamos um jogo desigual, Capitão. Ainda não foi perdida a esperança, certamente. Mas assim, com o senhor se retirando do campo de batalha, um titular absoluto e inquestionável da posição. Assim, Capitão, o inimigo somente tem a agradecer, ele já fortalecido, menos pelos meios próprios, e mais (muito mais) pela Ausência do Poder Público. Assim, são “as batatas” de Machado de Assis ao inimigo vencedor, nos restando a desolação e a desilusão. A morte metafórica. Somos todos defuntos.

— Sei de tudo isso. Mas, eu fiz a minha parte.

Perdão, Capitão! Fez mesmo! Como fez! É que a fenda aberta preocupa. Deixa-nos assim, meio que perdidos, meio que desencorajados, meio que vencidos. Vá em paz. Que seu Espírito de Guerreiro se manifeste em nossas pequenas almas. Nos encoraje. Precisaremos. É grande o desafio.

Passava pelas imediações do hospital Monte Sinai, ali vendo viaturas da PM. Pensei se tratar de um companheiro ferido. Na esperança de esclarecimento, buzinava. Ninguém me ouvia. A dor já conhecida paralisava. Fazia sentido. Adiante, ouvi alguém comentando: “Capitão Gílson morreu de infarto!”. — Deus, disse a mim mesmo. Um ladrão é a morte. Ela vem e nos leva sorrateira e mansamente. Levou o Capitão. Levou-O.

De há muito tempo conhecia o Capitão Gílson. Que na verdade, era ele muito conhecido. Lembro-me dele na cidade de Correntes, então nascendo nossa amizade. Passamos, PM e Delegacia, a fazer Operações Conjuntas. Compartilhávamos informações e somávamos esforços. Ainda que não inteiramente limpa e livre, por um bom tempo Correntes se viu com os índices de violência bem abaixo da média das cidades do seu porte. Tantas outras da região preocupavam, SIM. Como depois do encontro vem o desencontro (como diz o poeta), a vida é isso, tomamos rumos diferentes, mas enraizados pelo trabalho que gerou admiração e respeito recíprocos.

Um abnegado no sentido religioso, Capitão Gílson. Um altruísta. Renunciava a si mesmo e carregava a cruz da instituição. A coisa anormal e fora do lugar incomodava mais a si do que a qualquer um outro. Disso convencido, ele convencia. Partia então para “um chamado” envolvendo os mais diversos segmentos da sociedade, tudo em prol e para o desejo comum: a tranquilidade pública. Correntes. “Policial Negociador” do Gati. Bom Conselho. Honraria em Iati. Voto de Aplauso em São Bento do Uma. Belo Jardim. O Capitão Gílson marcou. Uma marca. Mais do que um Chefe, grande Líder. Chefes existem às pencas por aí. Líderes, uma raridade. O Capitão Gílson tinha liderança. Ele não dizia “Vá!”, próprio dos sem comando. E sim “Vamos!”, bomba de efeito moral que encoraja os comandados fazendo-os seguir, incondicional e destemidamente, a liderança. Aqui o Capitão foi ímpar. Firmou-se como líder. Firmou-se pelo exemplo, que é tudo.

— Esperou o verão para fazer ponto final na sua doce lavoura. Partiu em janeiro. Em verdade, quem morreu não foi ele. Foram as coisas, que deixaram de ser vistas pelos seus olhos. Foram os objetos que a sua mão deixou de tocar. Os seus livros, amigos, estamos defuntos. Foi o mundo que morreu nos seus cinco sentidos. Correntes e outras cidades choram a morte do Capitão. Copiosamente, Bom Conselho chora. O Capitão Gílson “combateu o bom combate” do apóstolo Paulo. Viveu sua fé: acreditava no que fazia. É sua Capitão Gílson A Coroa do Dever Cumprido. O senhor foi plural. Então,

José Maria

Comissário de Polícia

 

Compartilhe   

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Morreu na tarde desta sexta-feira (13) no Hospital Monte Sinai em Garanhuns, o Capitão da Polícia Militar, Gilson Marcone Cerqueira, de 41 anos.

Ele passava por um procedimento cirúrgico para implodir um cálculo renal (pedra nos rins), quando sofreu uma parada cardíaca, vindo a óbito.

Gilson estava na Polícia Militar a 18 anos, a maioria dedicados ao 9º Batalhão de Garanhuns, onde comandou as equipes especializadas e por anos esteve a frente do GATI, Gilson deixou o batalhão de Garanhuns em 2015 e foi transferido para o 15º Batalhão sediado em Belo Jardim, assumindo o comando da 2ª companhia de São Bento do Una,  e estava atualmente no comando da 1ª Companhia com sede em Belo Jardim.

Nas redes sociais amigos lamentaram a morte precoce do Capitão Gilson, o comando do 15º Batalhão e o presidente do Clube dos Oficiais da PM e CBM de Pernambuco também divulgaram nota de pesar.

O Comando do 15° BPM, com profunda tristeza, comunica o  falecimento do capitão Gílson Marcone Cerqueira Nogueira, 41 anos, quando submetido a uma cirurgia para retirada de cálculo renal, no hospital Monte Sinai, em Garanhuns, na tarde desta sexta-feira (13).

Oficial jovem, competente e dedicado à segurança pública, estava há 18 anos prestando valorosos serviços à PMPE. Atualmente, à frente da 1ª Companhia do 15° Batalhão, sediada em Belo Jardim, no Agreste pernambucano.

Casado e pai de quatro filhos, deixa saudades para todos os que tiveram o prazer de tê-lo em seu convívio.  Toda família quinzao, além de parentes e amigos,  enlutados, choram essa dura perda.

TEN CELl PM – JONAS

Comandante do 15° BPM

O Clube dos Oficiais da PM e CBM de Pernambuco recebe com pesar a notícia do falecimento, na tarde de hoje (13), do capitão Gílson Marcone Cerqueira Nogueira, quando submetido a um procedimento cirúrgico no hospital Monte Sinai, em Garanhuns, Agreste do Estado.

Oficial formado na Academia de Polícia Militar do Paudalho e com 18 anos de efetivo serviço na PMPE, sendo declarado Aspirante-a-Oficial no ano de 2001, conviveu entre nós de forma honrosa, destacando-se no desempenho das suas funções em unidades da Polícia Militar de Pernambuco, como Batalhão de Radiopatrulha, 9º Batalhão (Garanhuns) e, atualmente, no 15° Batalhão, em Belo Jardim.

Oficial jovem, casado e pai de três filhos, deixa saudades para toda a família policial militar, além de parentes e amigos, que enlutados choram juntos a morte de alguém muito querido e que em vida, na missão de bem servir à sociedade Pernambucano, escreveu seu nome na causa da Segurança Pública.

CEL PM – Josué Limeira da Silva Jr

Presidente do COPMBM/PE

Compartilhe   

segunda-feira, 09 de janeiro de 2017

Na noite da última sexta-feira (06), uma verdadeira multidão lotou a praça vereador José Augusto Pinto no centro de Brejão, no Agreste Pernambucano,  para prestigiar o último dia da tradicional Festa de Reis do município.

Segundo informações da assessoria de imprensa da Prefeitura, aproximadamente 20 mil pessoas compareceram no encerramento do evento, que foi realizado durante os dias 04, 05 e 06 de janeiro.

Com estrutura montada e programação elaborada pela empresa Djair Produções e Eventos,   a 113º edição da Festa de Reis foi um sucesso de público, de organização, mas sobretudo de segurança, visto que, além da presença da polícia militar, equipes de segurança particular também deram um suporte, para que o evento pudesse acontecer sem maiores intercorrências.

No palco shows com as atrações: Mariano e Marinaldo, Mônica Almeida, Luan Estilizado, Forró Ostenta, Geninho Batalha, Fulô de Mandacaru, Cristiano Bezerra e Cynthia Liz, a dupla Carlos  e Fábio e o cantor  Mano Walter, movimentaram a cidade no primeiro fim de semana de ano. Autoridades locais entre secretários municipais, empresários, vereadores, lideranças politicas  e  prefeitos e autoridades da região, estiveram prestigiando o evento.

“Esse ano, embora enfrentando algumas dificuldades no inicio da gestão, não poupamos esforços para resgatar a tradição dessa festa, que é um patrimônio cultural da nossa cidade, estou muito feliz e satisfeita, em perceber que a repercussão foi muito positiva ” avaliou a prefeita do município.

Questionada sobre suas expectativas para os próximos anos de governo, a jovem gestora, garantiu que vai manter uma parceria muito forte com o governo do estado, e que contará com o apoio do seu pai,  ex prefeito Sandoval Cadengue, o qual ocupa o cargo de gerente da casa civil no governo do estado. Segundo ela, ele estará intercedendo junto ao governador, para viabilizar diversas ações para o município.

Compartilhe   

quinta-feira, 05 de janeiro de 2017

Na noite desta quarta-feira (4), teve início a primeira noite da Festa de Reis no município de Brejão, no Agreste de Pernambuco.

O evento teve como atrações a dupla Mariano e Marinaldo, Mônica Almeida e encerrando a noite o cantor Luan Estilizado.

O policiamento esteve sob o comando do Capitão Fernandes e contou com a participação de 15policiais militares, além da viatura de Brejão, com a presença de um público estimado em 6.000 pessoas.

Durante a realização do evento, não houve registro de alterações.

Compartilhe   

quarta-feira, 04 de janeiro de 2017

O município de Brejão, no Agreste pernambucano,  se prepara para vivenciar a partir desta quarta-feira(04) a sua 113º Festa de Reis. A prefeita Beta Cadengue começa sua gestão de forma festiva, prometendo atrair um bom público para a cidade, nos três dias de realização do evento.

Com toda estrutura já montada pela empresa Djair Produções e eventos, a prefeitura de Brejão está trabalhando para deixar a cidade organizada, para realizar com sucesso a sua tradicional festa .

A abertura oficial está programada para acontecer as partir das 21h. No palco montado em praça pública, deverão se apresentar ,  a dupla sertaneja  Mariano e Marinaldo,  a  cantora Mônica Almeida, e encerrando a noite, Luan Estilizado promete atrair um grande público para Brejão.

“Estamos nos empenhando através de nossa equipe de governo, pra fazer da festa de reis, não só um grande evento, mas também, uma grande oportunidade pra movimentar o comércio local “  destacou Beta Cadengue. Quanto a questão de segurança, a prefeita do município assegurou, que todas as providências foram tomadas no sentido de garantir a tranquilidade da população.

A festa de Reis segue com uma programação diversificada até o inicio do fim de semana. Na quinta (05), é a vez do Forró Ostenta, Geninho Batalha e o forró da banda Fulô de Mandacaru, já na sexta (06), o comando da festa, fica por conta de Cristiano Bezerra e Cynthia Liz, a dupla Carlos e Fábio e fechando a programação, o cantor que é o fenômeno de público em todo o Brasil, Mano Walter.

(Com informações do Portal Brejão)

Compartilhe   

terça-feira, 03 de janeiro de 2017

A prefeita eleita de Brejão, Beta Cadengue (PSB), bem como o vice prefeito eleito Joseraldo Rodrigues, foram empossados no final da tarde deste domingo (1º), em solenidade realizada na quadra poliesportiva Genival Cadengue de Santana, em Brejão. A sessão também deu posse aos nove vereadores eleitos, sendo registrada a ausência de dois vereadores da oposição. Obedecendo a lei orgânica municipal a sessão foi presidida pelo vereador José Araújo Sobrinho.

Antes, por volta das 15h, foi realizada na igreja matriz da Santa Cruz a celebração da santa missa. Marcada pela presença de um grande público, a solenidade foi prestigiada por várias autoridades e personalidades do município e da região, entre elas ex vereadores, lideranças politicas, ex prefeitos Miguel Paes e Sandoval Cadengue, este último, atualmente ocupa o cargo de gerente da casa civil do governo do estado.

Visivelmente entusiasmadas, as pessoas demonstravam confiança  no governo que está assumindo o comando administrativo do município. Já devidamente empossados e fazendo uso da palavra,  o vice prefeito Joseraldo Rodrigues, disse que estar disposto a fazer uma grande trabalho em prol de toda população, e espera contar com a confiança de todos.

Em seguida subiu a tribuna de honra, o ex prefeito Sandoval Cadengue e pai da jovem prefeita Beta. Aplaudido pelo público presente e muito emocionado ao dirigir a palavra a nova gestora do município, Cadengue não economizou elogios, destacando que a mesma é o seu grande orgulho. “o grande desafio para Brejão é resolver a questão do abastecimento de agua na cidade,  o outro é viabilizar a construção da escola de referência do município, não vou poupar esforços para ajudar minha filha a fazer uma grande governo por Brejão“ Registrou Sandoval, que novamente ocupa o cargo de gerente da casa civil do governo do estado.

“Fui eleita para provar que os grandes problemas estão acompanhados de grandes soluções, vamos encontra-las, e não haverá força na terra, capaz de nos desviar dessa trajetória, porque Deus estará conosco em todas as nossas decisões” Registrou a prefeita eleita Beta Cadengue em um dos trechos do seu discurso, que concluiu sua fala em seguida.

“A nova esperança chegou, trago na bagagem o legado deixado pelo meu meu avó Josa, herdado pelo meu pai Sandoval, que é cuidar da nossa gente com muito trabalho. Conto com o apoio dessa histórica e independente câmara de vereadores, responsável por tantas mudanças,  para realizar essas transformações. Da mesma forma conclamo a sociedade de nossa terra, suas entidades e lideranças, meus secretários e auxiliares, os servidores públicos,  o comércio brejonense, a imprensa, enfim, todos os que amam esta terra, que nos auxiliam nessa batalha também, finalmente, espero nos próximos quatro anos poder agradecer com muito a trabalho e dignidade, e apoio, e a compreensão do meu pai, eterno gestor dessa cidade, Sandoval Cadengue, da minha querida mãe, Lenice Barros, do governo de Pernambuco, através do governador Paulo Câmara, da minha família, dos meus amigos, e acima de tudo a Deus. Agradeço a oportunidade única e  inigualável,  de dirigir esta terra que eu tanto amo, motivo do meu orgulho, e razão final dessa nossa luta”, finalizando assim o seu discurso, a jovem gestora de Brejão, Beta Cadengue.

ELEIÇÃO DA CÂMARA DE BREJÃO

Encerrando o cerimonial de posse neste último domingo(1º), e obedecendo o que determina o regimento interno da câmara municipal e a lei orgânica do município, foi realizada a eleição da Mesa Diretora da Casa para o biênio 2017-2018.

Após o processo de votação com a ausência de dois vereadores que integram a oposição, foi conclamado o seguinte resultado.

O vereador Saulo Maruim (PR), mais votado no pleito de 2016, foi reeleito Presidente da Câmara de Vereadores de Brejão para o seu terceiro mandato consecutivo de presidente. Vitorioso com  a maioria dos votos dos vereadores que integram a base governista.

Além de Saulo, também foram eleitos os Vereadores Caco do Imbé (PSB), como Vice-presidente; Cicero Dionísio (PSB), como 1º Secretário e Cabeu (PR), como 2º Secretário.

Compartilhe   

sábado, 31 de dezembro de 2016

Um morador do bairro Manoel Chéu em Garanhuns ficou gravemente ferido após uma colisão entre dois carros na PE-218, por volta das 23h40 de sexta-feira (30), próximo a cidade de Brejão, no Agreste de Pernambuco.

Segundo informações, a vítima guiava um veículo gol sentido a cidade de Garanhuns quando numa curva da rodovia foi surpreendida por um veículo Strada Working, de cor vermelha, ano 2010, com placas KIL-1693 da cidade de São Caitano/PE, que teria invadido a faixa contrária e colidido na lateral do gol. Os ocupantes da Strada, que seriam três homens, aparentemente jovens, empreenderam fuga sem prestar qualquer tipo de socorro ao motorista do gol que sofreu lesões graves na cabeça, além de ter quebrado o pé e várias fraturas nos membros inferiores.

A vítima ficou presa às ferragens do veículo e foi retirada pelo efetivo do Corpo de Bombeiros da cidade de Garanhuns/PE e levada para a Emergência do Hospital Regional Dom Moura em Garanhuns, onde ficou internada.

As cidades próximas ao acidente, Brejão e Terezinha, que poderia prestar um socorro de urgência não disponibilizam do Serviço Móvel de Urgência (SAMU), tendo a vítima ficado aguardando o socorro vim de Garanhuns.

O efetivo de trânsito da Polícia Militar esteve no local e registrou o ocorrido.

Compartilhe   

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

“E o povo já pergunta com maldade:  onde está a honestidade? Onde está a honestidade?” Para àquele do “tríplex do Guarujá e do Sítio em Atibaia e cujo dinheiro nasceu de repente sem nenhuma herança”. Do grande cantor e compositor de Samba Noel Rosa, o poeta da Vila. Será sempre bem-vinda e oportuna a fiscalização das instituições constituídas e de alguns senhores falantes. Melhor ainda quando feita diretamente pelo povo, ele que mais padece pelo vício secular nelas enraizado, tornando-as podre. Por aqui, vereadores foram presos suspeitos de exigir vantagens indevidas para votar projetos. O grupo dividiria entre si R$ 2 milhões. A faceta cômica do episódio foi ouvir o senhor causídico e sua máxima: “A prisão preventiva é um caráter excepcional, quando uma pessoa coloca em risco a sociedade, quando é um criminoso”. Que piada!

Pergunto-me por que (depois dessa) ainda não prenderam o Papa Francisco. Ele é que deve ser um risco e um criminoso. Ora. A quadrilha da vereança é mais perigosa do que às que fazem assaltos a bancos, que ao menos não são dissimuladas. E tem mais: a caminho da carceragem — sem pudor algum e como se fossem celebridades —, seus integrantes, em risos, ainda acenavam e pousavam para as câmaras num completo descaramento ao cidadão eleitor. É a quadrilha do PT encabeçada por José Dirceu fazendo escola. Abrindo um parêntese. Quem não se lembra desse picareta com seus punhos cerrados a caminho da carceragem quando condenado no mensalão. Ele fazia parecer ser vítima da “opressão e do destino”. Gesto que simboliza a luta socialista? Uma ova! É próprio desse partido de larápios a crença de que um “erro pequeno” (desvio de bilhões) seria justificado pelo bem maior, se referindo ao projeto de poder para o país. Que bem maior? O desemprego e a recessão, a inflação e a quebradeira, a desesperança enfim. Perdido no campo jurídico. Embate no campo político. Mobilização de sua militância de alienados e seus simpatizantes domesticados. Desonestidade: DNA do PT. Voltando ao que me trouxe aqui, vez por outra é muito bom ter aulinhas de direito (da prisão preventiva supra). O cidadão inculto agradece. Ainda bem que existem a figura de um juiz, de um promotor e de um delegado atuando em favor dos “sem conhecimento de causa”. Uma ministra do STJ (há pouco) deu uma sentença favorecendo um denunciado por estupro de vulnerável. Diversos segmentos sociais caíram em cima dela. Disse a ministra (em seu despacho) que o objeto da tutela — virgindade e pureza e santa inocência — já não mais existia. Era uma sapeca e de há muito tempo vivia dando em um posto de gasolina. Se alguém “roubo-lhe tudo aquilo”, não fora o cliente em questão. O presidente do mesmo órgão da ministra concordou com sua companheira dizendo que o juiz não faz a lei, mas a aplica levando em conta todo um contexto e não apenas o seu aspecto formal. Todo um contexto, senhor causídico. Seus amigos soltos e por certo continuariam nessa prática delitiva horrenda: estupro social. Milhões de cidadãos (aqui sim) íntegros e puros e inocentes como vítimas. A pior violência é aquela que suscita outras. Existem bandidos que o são mais do que outros. Legislativos vis e perniciosos é o que não faltam pelo país afora. Melhor nenhum a um desmoralizado.

Nem sempre alcançado. No Brasil são tantos recursos permitidos que o julgamento definitivo de um Luiz Inácio Lula da Silva (leia-se corrupto) pode levar anos. Cai em descrença a Justiça desacreditando o cidadão. Rui Barbosa dizia que “justiça tardia é injustiça”. Apelação e agravo, embargos disso e daquilo, além de recursos variados, tudo se presta ao interesse dos atuantes à margem da lei no processo civil. Do lado criminal, até que se chegue a “coisa julgada” há uma infinidade de benesses em favor dos “homens de fachada” como diria Nietzsche. A imediatez dos interesses próprios em detrimento do coletivo como visto na causa dos vereadores citados. De fachada todos somos. Aos quais me refiro o são em demasia. Um sujeito roubar milhões e condenado (1ª instância) poder apelar em liberdade, é como se o trio — delegado/promotor e o juiz (jurado) — agisse em conspiração. Apelar (sim), mas preso. Seus advogados que corressem. Antes que os doutos me falem do Trânsito Em Julgado Da Sentença Penal Condenatória, asnice tamanha seria resolvida facilmente excluindo-A da constituição. Até por que os únicos alcançados por esse instituto são os endinheirados. Ou não? Justiça presente e célere. O cidadão ocupante de cargo público e de cargo eletivo devem exercê-lo com dignidade e respeito. Corporativismo e cumplicidade. Omissão e covardia. Nem todo mau cheiro pode ser materializado. Surgindo, que sejam colocados de prontidão a justiça e outros órgãos de correição. Povo em alerta. Justiça, ainda que tardia.

A mulher de César. Uma grande lição. Era para ser assim:  todo homem público deveria passar pelo crivo de César. Havia suspeita de que sua mulher estava o traindo. Nada foi provado, mas César (o grande general romano) a repudiou. Perguntado o porquê de sua atitude contraditória (repudiando-a sem prova), disse ele que como era uma figura pública e de grande notoriedade, não lhe ficava bem certos comentários. Não bastava sua mulher ser honesta. Tinha também de parecer. Homem público: não basta ser honesto. Tem de parecer O ser.

José Maria

 

Compartilhe   

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

A Polícia Militar recebeu informações na tarde de quinta-feira (22) que no Sítio Baixa da Lama, Zona rural de Brejão, havia um homem com uma espingarda de fabricação artesanal efetuando disparos e que também teria atingido um cachorro.

O policiamento foi ao local e conseguiu deter o suspeito, o aposentado Manoel Eduardo da Silva, de 60 anos, que não esboçou reação na hora da abordagem, segundo a PM.

O agricultor foi conduzido junto com a arma para o plantão da Delegacia Regional de Garanhuns, onde foi confeccionado o flagrante e arbitrado fiança no valor de R$ 300, 00 reais. A quantia foi paga pelo imputado que foi liberado em seguida.

Compartilhe