| PORTAL AGRESTE VIOLENTO

PM CONECTADO

Águas Belas (87) 99919.2115
Angelim (87) 99979.3204
Bom Conselho (87) 98101.7402
Brejão (87) 98101.8739
Caetés (87) 98146.4946
Canhotinho (87) 99612.2683
Capoeiras (87) 9.9819-5367
Calçado (87) 98116.4066
Correntes (87) 98134.0114
Garanhuns (87) 98139.1576
Jupi (87) 99962.2743
Jucati (87) 98111.2481
Lajedo (87) 9.8144-9320
Lagoa do Ouro (87) 991794150
Paranatama (87) 98121.5364
Palmeirina (87) 98143.4566
São João (87) 98116.1430
Terezinha (87) 98124.0865

Rádios e Parceiros

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Um agricultor foi assassinado na manhã desta sexta-feira (19), no Povoado Maniçoba, zona rural de Capoeiras, Agreste de Pernambuco.

De acordo com informações da polícia, a vítima Carlos Evandro de Almeida, de 42 anos, estava em uma mercearia, quando dois elementos em uma motocicleta de cor preta se aproximaram efetuando disparos de arma de fogo. Carlos Evandro foi alvejado em várias partes do corpo, não resistiu e veio a óbito no local.

Até o momento a identidade dos assassinos e motivação do crime são desconhecidas, o corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru, o caso será investigado pela Delegacia de Polícia Civil de Capoeiras.

Compartilhe   

sábado, 13 de maio de 2017

Um homem foi preso na manhã desta sexta-feira (12), em uma estrada vicinal na zona rural do município de Capoeiras, no Agreste de Pernambuco.

A Polícia Militar informou que realizava rondas quando abordou José Antônio da Silva, de 67 anos, ele portava um revólver calibre 38, além de um faca peixeira, a PM ainda informou que ele era foragido do sistema prisional e tinha um Mandado de Prisão Em aberto.

José Antônio, foi levado para a delegacia de Polícia Civil, autuado e recolhido a cadeia pública de Capoeiras.

Compartilhe   

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Na Vila Tupi, município de Canhotinho no Agreste pernambucano, a polícia tomou conhecimento que uma mulher de 30 anos havia sido agredida pelo ex-companheiro com socos no rosto. O fato foi narrado pela vítima que informou ao policiamento que seu ex foi até sua residência e durante uma discussão o mesmo lhe agrediu, causando lhe hematomas na boca. O casal se encontra separado há cerca de 06 meses.

A polícia conseguiu localizar o suspeito de 42 anos que foi preso e encaminhado à delegacia de polícia na cidade de Garanhuns onde a vítima desistiu de registrar a queixa contra o agressor. A Polícia Civil instaurou inquérito para investigar o ocorrido.

No centro da cidade de Capoeiras, também no Agreste, a polícia registrou mais um caso de agressão à mulher. Desta vez foi uma agricultora de 53 anos que foi agredida pelo companheiro com socos na região do rosto e cabeça. Segundo a PM, a vítima relatou que foi agredida durante uma discussão com seu companheiro. O acusado de 67 anos foi detido pelo policiamento e encaminhado para a delegacia de plantão em Garanhuns onde foi autuado em flagrante. A autoridade policial arbitrou fiança no valor de R$ 900. A quantia ficou a ser arrecadada pelo acusado que caso contrário irá ser apresentado em audiência de custódia.

Compartilhe   

terça-feira, 25 de abril de 2017

Um homem foi encontrado assassinado na manhã desta terça-feira (25), no Sítio Lagartixa, zona rural do município de Capoeiras, no Agreste de Pernambuco.

A vítima aparentava ter de 25 a 30 anos de idade, estava seminu com uma camisa preta amarrada no pescoço, era desconhecido da comunidade e não possuía documentos que o identificasse, o corpo apresentava lesões provocadas possivelmente por golpes de facão, na região das costas e cabeça, ficando o rosto parcialmente desfigurado.

Pela rigidez cadavérica o crime aconteceu pela madrugada, o corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal IML) de Caruaru, a delegacia de Capoeiras já trabalha para  desvendar o crime.

Compartilhe   

terça-feira, 25 de abril de 2017

Aposentei-me. Foram trinta anos cumpridos devidamente. Minha longa jornada de trabalho começou pelo glorioso Exército Brasileiro, Polícia Militar das Alagoas e terminando na Polícia Civil de Pernambuco. Saio orgulhoso do trabalho realizado. Trabalhei nas delegacias de Iati, Correntes, Angelim, Bom Conselho, Águas Belas, Canhotinho, Paranatama e findando pela cidade de Brejão. Angelim e Bom Conselho pouco tempo. Estação e de inverno. Ouvira dizer que alguém faria um livro intitulado “Minhas mil prisões”. Não chego nem perto disso, mas é o de mais importante no trabalho policial. Não adianta um bom indiciamento e denúncia e pronúncia sem a prisão do infrator. A pergunta que o cidadão sempre faz (costumeiramente ouvia) é “e aí já prenderam àquele sujeito?”. Um ‘sim’ e a polícia se faz reconhecida, digna de apreço e de respeito. Vejam o brilhante trabalho do Juiz Sérgio Moro e do MPF. Contudo, não somente eles são lembrados nas manifestações populares, a PF sendo enaltecida Gigantemente. Gosto de mencionar um caso quando de minha chegada na cidade de Correntes. Solicitei um Mandado de Prisão. Tive de ouvir (espantosamente) de um senhor do Fórum a seguinte expressão: “Pra quê, se vc’s não prendem ninguém?!”. No dia seguinte, dei cumprimento àquele mandado e aos demais, uns quarenta ao longo de minha passagem pela cidade. Somente restou ao língua solta baixar a cabeça quando me via. De certa forma, ele apenas fazia uma observação de uma delegacia inexistente: havia um prédio e policiais, mas nenhum serviço. Não se deve perder nunca a capacidade de autocrítica. Todo mundo observa quando nada se faz. É merecedora a censura. Por óbvio que tantos outros mandados deixei de cumpri-los, mas dei cumprimento aos possíveis. Fiz minha parte.

Longa é a caminhada, mas é preciso passar o bastão. A gente o recebe e o passa adiante. A corrida continua. Elogios me vieram à farta: de fora principalmente. Tocaram-me mais os do povo e estes os tive mais em conta conquanto não fossem alvo meu. Reconhecimento é inerente a quem trabalha. Também tive desafetos: mais aqui dentro. É estranho que você possa incomodar pelo fato de andar em pé. Qual o problema se sei falar e diferencio bem vogal de consoante? Sem delongas foi isso. Não à toa que ouvi de um superior: “Zé Maria é um policial que trabalha e o faz bem. Tem outras qualidades. Agora sei por que muitos falam dele”. Ou seja: você não pode ter senso crítico e graciosamente se manifestar. Tem de permanecer (não sendo) no campo da mediocridade e do anonimato. Sinto muito! Candeeiro aceso não se coloca sob a mesa. É bíblico. Meliantes. Sem rancor. Sempre os tratei com respeito e lhes dando o direito previsto em lei. Não perdem a condição de humanos. Sabem eles do papel do policial. Cumpram suas penas. Ainda mais nessas pocilgas nossas e cujo sistema é em si marginalizador. A mim não me cabia lhes cobrar mais. Nem a ninguém certamente. Pagam o preço da pena e do descaso. Não é pouco. Até por que os piores bandidos deste país têm caminhos livres ainda sendo bajulados e adorados. Conselhos? Trabalhe. A despeito de tudo. Primeiro: você é pago para isso. É pouco? Existe a liberdade de procurar um outro. Isso não invalida a luta por melhores condições: trabalho e salário. O edital é bem claro: o salário é aquele. Deltan Dallagnol tem mestrado em Harvard. Uns por aqui querem o mesmo salário com o ensino fundamental. Como?! Ao longo de minha jornada pude constatar que os parasitas são os que mais gritam. Segundo e substancial: o cidadão não pode ser o siri nessa briga do mar com o rochedo. Ele é merecedor de um serviço público de qualidade. À altura dos impostos pagos. Outro conselho: o caminho da retidão. Evite os atalhos. Deságuam em morte ou em prisão. Não vi um companheiro se sustentar fora do caminho correto. A casa cai cedo ou tarde. É um fato. Ou (no mínimo) vai padecer internamente da rejeição e do isolamento e chancelado pelo belo epíteto de ALMA SEBOSA.

Gratidão. A Nosso Senhor Jesus Cristo. Pela Companhia em minha jornada. Um dia vivido já é uma dádiva. Viver a vida como um presente D’ Ele deveria ser coisa mais do que natural. Não tem sido. Ainda mais nos dias de hoje. Ainda mais por aqui. Luta-se pela sobrevivência. Parece ato de heroísmo o cidadão sair de casa. Parece ato de heroísmo nela chegar sem que se tenha sido molestado de alguma forma: perda da vida como a mais grave. Herói de nós mesmos. Assim sendo e por isso eu rogo a Cristo Jesus: vida e paz para os cidadãos. Vida e paz para meus companheiros. Não se sabe o ponto de parada. É com Deus. Proteger a si e aos seus parece (parece) delimitar aquele ponto. É a vida de um policial. Minha prece agora é para que meus companheiros policiais continuem na corrida. Gratidão de minha parte aos bons policiais e aprendemos juntos. Gratidão às boas autoridades que me fizeram crescer. Tive a convivência de uns e outros (iguais e desiguais) desonrados. Infelizmente tive. Maus companheiros e “autoridade”. Duro é o ambiente de trabalho onde quem deveria zelar pela harmonia e ser o bom exemplo para os seus é a mais pecadora do local. O bom exemplo que vem de cima: “Faça o que eu digo. Não faça o que eu faço”. É preciso então fazer uso do papel. Fazer uso de boas linhas. Corregedoria e promotoria (principalmente) são nossos ouvidos. “O que vale pra Chico tem de valer pra Francisco”, disse Janot. A instituição acima de tudo. “O silêncio de quem não denuncia é mais preocupante. ” Luther King. A maldade nos rodeia e faz parte do script da vida. As pedras do caminho do poeta. Duplico aqui minha reza e faço exercício daquele gesto de grandeza de Nosso Senhor Jesus Cristo: o perdão.

— Calção de banho. Dias de vadiagem. Preguiça no corpo. Água de coco. É bom! Tardes em praias. Sol ardendo. Barulho do mar. Falar de coisas boas — do cantor e compositor Toquinho. É minha vida agora.

Fiquem com Deus, companheiros!

José Maria

Compartilhe   

sábado, 15 de abril de 2017

A Polícia Militar prendeu na tarde desta sexta-feira Santa, o Luís Isidio, de 81 anos, acusado de molestar uma menina de 4 anos de idade. A prisão aconteceu no Loteamento Frei Damião no município de Capoeiras, Agreste de Pernambuco.

Segundo a PM, a mãe da vítima informou que a filha brincava na garagem da residência junto com o idoso que frequentava sua casa quando ela flagrou ele molestando a criança.

O acusado se evadiu do local, mas foi capturado pela polícia e encaminhado ao plantão da Delegacia Regional de Garanhuns onde foi autuado em flagrante.

Compartilhe   

quarta-feira, 12 de abril de 2017

A Polícia Militar apreendeu um elemento que estava com uma moto adulterada, após denúncia de populares, no centro de Capoeiras, PE.

O suspeito que seria um menor de 15 anos de idade transitava com uma motocicleta em atitude suspeita, após denúncia o policiamento realizou rondas e conseguiu deter o indivíduo. A moto pilotada por ele, uma CG de cor preta estava com o chassi adulterado e placa clonada.

Ainda segundo a PM, o menor foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil da cidade junto com a moto.

Compartilhe   

quarta-feira, 05 de abril de 2017

Dois elementos armados tomaram de assalto uma pick-up Strada, branca, de placa PCU-6374/PE de um comerciante, quando ele chegava em casa no centro da cidade de Capoeiras/PE.  Segundo a Polícia Militar, o assalto ocorreu por volta das 22h de terça-feira (4) na Praça Adalberto Ferreira. A vítima informou ao policiamento que o veículo estava carregado com algumas mercadorias.

A polícia informou que, foram feitas várias incursões no intuito de localizar os elementos, porém sem êxito. A vítima foi orientada a prestar queixa na delegacia de Polícia Civil do município.

Compartilhe   

terça-feira, 04 de abril de 2017

A Polícia Militar encontrou uma moto abandonada no município de Capoeira no Agreste pernambucano. O veículo foi verificado através do chassi mas não foi identificado pois não havia registro no Detran/PE. Ela pode ter sido roubada antes de ter sido emplacada.
Segundo a PM, a motocicleta foi apreendida para averiguação.

Compartilhe   

segunda-feira, 03 de abril de 2017

Após quase três anos, familiares de José Leandro Alves da Costa, a época com 23 anos, não receberam qualquer informação que pudesse levar ao seu paradeiro.

No dia 12/07/2014, ele conseguiu fugir do Hospital da Providência, no município de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, onde estava internado a dois meses realizando tratamento psiquiátrico. De acordo com familiares a fuga aconteceu pela porta da frente, na época foi registrado na delegacia um Boletim de Ocorrência, a Polícia Civil investigou o caso, mais não conseguiu descobrir o paradeiro da vítima.

Até hoje a família que é do município de Altinho, sofre com o sumiço de José Leandro.

Qualquer informação que possa levar ao seu paradeiro, deve ser informado pelo fone (81) 9.9520-3003 (Falar com Leidiane).

Compartilhe