| PORTAL AGRESTE VIOLENTO

PM CONECTADO

Águas Belas (87) 99919.2115
Angelim (87) 99979.3204
Bom Conselho (87) 98101.7402
Brejão (87) 98101.8739
Caetés (87) 98146.4946
Canhotinho (87) 99612.2683
Capoeiras (87) 9.9819-5367
Calçado (87) 98116.4066
Correntes (87) 98134.0114
Garanhuns (87) 98139.1576
Jupi (87) 99962.2743
Jucati (87) 98111.2481
Lajedo (87) 9.8144-9320
Lagoa do Ouro (87) 991794150
Paranatama (87) 98121.5364
Palmeirina (87) 98143.4566
São João (87) 98116.1430
Terezinha (87) 98124.0865

Rádios e Parceiros

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Ação conjunta da Polícia Federal e da Polícia Militar de Pernambuco (1ª CIPM-Belém do São Francisco/PE), prendeu em flagrante, na tarde do dia 15/11/2017, por volta das 11h, no Sertão pernambucano, ÍTALO CLEBSON TORRES, 29 anos, agricultor, residente e natural de Belém do São Francisco (possui antecedentes criminais, já foi preso por tráfico de drogas no ano de 2009);

A prisão aconteceu através de levantamentos feitos pela Polícia Federal, dando conta de que na localidade conhecida como Sítio Jardim, próximo ao distrito de Riacho Pequeno em Belém do São Francisco/PE (sertão) um agricultor estaria cultivando uma roça de maconha. De posse dessas informações e como aquela área pertencia a 1ª Companhia Independente da Polícia Militar de Belém de São Francisco/PE, os federais repassaram a localização para os militares que ao chegarem lá identificaram os plantios já colhidos e a maconha acondicionada em 06 grandes sacos plásticos cobertos de galhos secos que ficava há uma distância de 200 metros de sua residência e que após a pesagem totalizou um peso bruto de 72Kg . Os militares ainda fizeram uma busca no interior da residência do agricultor onde foi encontrada uma balança de precisão!

Terminado os trabalhos investigativos, o agricultor recebeu voz de prisão em flagrante foi informado dos seus direitos e garantias constitucionais e em seguida levado para a Delegacia de Polícia Federal em Salgueiro/PE, onde acabou sendo autuado pela prática do crime contido no artigo 33 da Lei nº 11.343/2006 (tráfico de entorpecentes) e caso seja condenado poderá pegar penas que variam de 5 a 15 anos de reclusão. Após a autuação, o preso realizou Exame de Corpo de Delito no IML-Instituto de Medicina Legal e na data de hoje será encaminhado para a audiência de custódia e caso seja confirmada a sua prisão preventiva será conduzido para a Cadeia Pública de Salgueiro/PE, onde ficará à disposição da Justiça Estadual.

Compartilhe   

domingo, 12 de novembro de 2017

A Polícia Federal em Pernambuco, com apoio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP, deflagrou na manhã de hoje (12/11) a operação denominada “PASSE FÁCIL” visando coibir esquema de fraudes no Exame Nacional de Ensino Médio – ENEM
Estão sendo cumpridos 31 (trinta e uma) ordens judiciais de condução coercitiva e busca e apreensão em 13 Estados da Federação (PE, BA, CE, ES, GO, MA, MG, MT, PA, PI, PR, RN e SP), além do Distrito Federal, locais onde foi possível se detectar indícios de fraudes.

A operação buscou desvendar e desarticular esquema de candidatos interessados em fraudar o certame mediante a resolução da prova por especialistas em determinado bloco de questões de prova, chamados de pilotos, que posteriormente repassavam os gabaritos aos candidatos que os contrataram, inclusive por intermédio de pontos eletrônicos.

Os resultados ainda estão sendo computados, mas já foi possível colher depoimentos e apreensão de celulares dos investigados, sendo confirmada a participação de candidatos em fraudes em certames anteriores. A deflagração buscou, assim, garantir a lisura do certame e a igualdade entre os candidatos, sendo executada com discrição para não prejudicar a tranquilidade necessária para o bom andamento das provas.

Os crimes que estão sendo investigados são estelionato (artigo 171, § 3º), uso de documento falso (artigo 304), fraudes em certames de interesse público (e 311-a), associação criminosa (Artigo 2º da lei nº 12.850/13), cujas penas ultrapassam os 25 anos de reclusão.

Compartilhe   

segunda-feira, 06 de novembro de 2017

Foram realizados cerca de 1.900 testes de alcoolemia; 53 autuações foram aplicadas e duas pessoas presas por embriaguez ao volante

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou, entre a quarta-feira (1º) e o domingo (05), a Operação Finados 2017. Neste período, foram registrados 60 acidentes, com 44 feridos e uma morte nas rodovias federais de Pernambuco. No ano passado não ocorreu uma operação específica nesse período, pois o feriado caiu em uma quarta-feira.

Entre os acidentes mais graves, destaca-se uma colisão frontal na madrugada do domingo (05), envolvendo uma motoneta sem placa e uma motocicleta na BR 101, Cabo de Santo Agostinho. O condutor da motoneta invadiu a contramão e colidiu frontalmente contra o veículo que vinha em direção oposta. O condutor da motoneta faleceu no local e o da motocicleta ficou gravemente ferido.

Durante cinco dias a PRF fiscalizou 2.119 pessoas e 2.211 veículos, sendo emitidas 1.628 autuações por diversas irregularidades. Entre elas, destacam-se 89 pelo não uso do cinto de segurança, 32 por ultrapassagens em local proibido, sete pela falta da cadeirinha e cinco pela ausência do capacete.

Além disso, foram registradas 1.281 imagens de veículos que trafegavam com excesso de velocidade, através da utilização de radares. Para coibir a embriaguez ao volante, foram realizados 1.847 testes com o bafômetro, que contribuíram para autuar e retirar das rodovias 53 pessoas, além de prender dois motoristas que haviam ingerido bebida alcoólica, as ações contaram com o apoio de equipes da Operação Lei Seca.

A fiscalização também recolheu 117 veículos irregulares, bem como apreendeu 129 Certificados de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLVs) e 52 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs).

As ações educativas alcançaram 496 motoristas e passageiros, através de palestras sobre cuidados que devem ser adotados para evitar acidentes e reduzir a violência no trânsito.

O enfrentamento ao crime contou com o apoio do Núcleo de Operações Especiais, além dos grupos de Patrulhamento Tático e Motociclismo. Ao todo, três veículos foram recuperados e seis pessoas foram presas por diversos crimes. Destaca-se a apreensão de 18 quilos de maconha, ocorrido na BR 232, em São Caetano, no Agreste, em conjunto com a Polícia Federal. O condutor informou que estava levando a droga para Pesqueira, na mesma região.

Compartilhe   

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

A Receita Federal do Brasil deteve e encaminhou para a Polícia Federal a fim de que fossem feitos os procedimentos de prisão em flagrante, na noite de ontem, 21/10/2017, por volta das 22h, DANILA PATRÍCIA PEREIRA TEIXEIRA DO CARMO, portuguesa, camareira, solteira, 22 anos, natural e residente em Lisboa-Portugal-(não possui antecedentes criminais).

A detenção e descoberta da droga aconteceu durante fiscalização de rotina da Receita Federal do Brasil destinada a reprimir o tráfico internacional de entorpecentes no Aeroporto Internacional dos Guararapes – Gilberto Freyre. Os servidores da Receita Federal ao submeter algumas bagagens pelo aparelho de raios “x” identificaram uma mala que continha em seu interior alguns objetos de formato estranho. Tal mala foi separada e a sua proprietária que havia saído de Lisboa-Portugal teve sua bagagem aberta na presença de policiais federais, onde após se submeter a uma entrevista prévia, começou a ficar nervosa e a se contradizer-se em algumas das suas respostas (sobre o valor das passagens aéreas e qual o motivo da sua viagem). A ação teve seu desfecho final quando os servidores alfandegários e policiais federais vieram a descobrir 03 invólucros de entorpecente de natureza orgânica em formato retangulares escondidos num fundo falso que ao passar pelo exame narcoteste resultou positivo para a droga denominada “haxixe” (resina da maconha). A droga totalizou um peso bruto de 4,6Kg (quatro quilos e seiscentos) gramas. O Haxixe não é produzido no Brasil e pela forma de apresentação a droga é oriunda do oriente e norte da África.

Terminado os trabalhos investigativos e tendo sido toda a droga encontrada a suspeita recebeu voz de prisão em flagrante foi informada dos seus direitos e garantias constitucionais e em seguida levada para a sede da Polícia Federal no Cais do Apolo, onde acabou sendo autuada pela prática do crime contido no artigo 33 e 40 inciso I da Lei nº 11.343/2006 (tráfico internacional de entorpecentes) e caso seja condenada poderá pegar penas que variam de 5 a 20 anos de reclusão. Após a autuação, a presa realizou Exame de Corpo de Delito no IML-Instituto de Medicina Legal, onde passou pela audiência de custódia, sendo confirmada sua prisão preventiva e logo em seguida encaminhada para a Colônia Penal Feminina do Bom Pastor onde ficará à disposição da Justiça Federal/PE. Além da droga também foram apreendidos cartão de embarque, passaporte, dois aparelhos celulares. Também foi encontrada com a portuguesa uma quantia em dinheiro de moeda corrente de euros e reais.

Em seu interrogatório DANILA confessou que sabia estar transportando substância entorpecentes para o Brasil e que uma prima de consideração, natural de Angola foi quem teria preparado e entregue a mala com o haxixe já escondido através de um fundo falso. Disse também que quando entregasse a droga no Brasil receberia a importância de R$ 10 mil euros (cerca de R$ 38 mil reais). Por fim relatou que somente aceitou fazer esta viagem em virtude de uma necessidade de realizar uma cirurgia na perna.

Compartilhe   

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Neste final de semana (19 a 22/10) a Polícia Federal, através de sua área de inteligência e Delegacia de Salgueiro, deflagrou a “Operação Cariri”, destinada a prender integrantes de uma Organização Criminosa de caráter interestadual, responsável por, pelo menos, 09 (nove) entre assaltos a bancos com explosões de caixas-eletrônicos, dos correios e carros-fortes, no sertão de Pernambuco e cidades do Ceará. A Organização criminosa tinha 18 integrantes identificados, naturais dos Estados de Pernambuco, Ceará, Bahia e Alagoas, sendo que dois dos líderes foram mortos em confrontos com a Polícia Militar de Pernambuco no início deste ano (no sítio Quixaba a 15km de Salgueiro/PE). Outros membros haviam sido presos em ações anteriores, estando oito deles já recolhidos em presídios de Pernambuco, Ceará e Bahia.

A operação visou cumprir 16 Mandados de Prisão Preventiva expedidos pelo Juízo da Comarca de Missão Velha/CE, onde os bandidos explodiram as agências de dois bancos em fevereiro deste ano. As prisões desta fase se deram nas cidades de Petrolina/PE, Delmiro Gouveia/AL e Barbalha/CE. Durante as investigações a Polícia Federal contou com apoio da Polícia Federal de Juazeiro/BA, BEPI/PMPE, inteligência da PM/BA, Polícia Civil de Petrolina/PE, para identificar e qualificar os integrantes do bando armado, que aterrorizou várias cidades de Pernambuco e Ceará durante seus assaltos. O grupo atuava na modalidade que vem sendo chamada de “Novo Cangaço”, com parte da quadrilha mantendo os reduzidos efetivos policiais das cidades-alvo sob fogo intenso e bloqueando estradas com grampos, enquanto outros membros instalavam explosivos e recolhiam o dinheiro após a abertura dos caixas eletrônicos.

Entre os presos está um comerciante da cidade de Petrolina/PE que atuava no ramo de consórcios e vigilância eletrônica e é acusado de alugar armas (fuzis) para a Organização, além de ter forjado o roubo de veículo de sua propriedade que seria utilizado em assaltos. Outro é um policial civil da Paraíba, que também é Vereador da cidade de Jardim/CE pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), contra quem existe a acusação de ter cedido uma granja de sua propriedade para reunião da quadrilha momentos antes do assalto em Missão Velha/CE no dia 03/02/2017, fato confessado por membros da Organização que já se encontravam presos. FRANCISCO RENATO PEREIRA JÚNIOR, conhecido como JUNIOR SEDRIM, reside em Barbalha/CE. O parlamentar, de 38 anos, foi o quarto mais votado no Município, com 1.161 votos. E já responde uma ação penal por participação em duplo homicídio ocorrido no município de Santana de Mangabeira (PB). Segundo investigação, ele e o soldado da Policia Militar, JOSÉ ALÊNIO LEAL BEZERRA, executaram o casal de agricultores Carlos Batista, de 51 anos, e CÍCERA PEREIRA, de 49, na noite de 23 de abril de 2010

Um terceiro trabalhava numa espécie de “casa de apostas” em Delmiro Gouveia/AL, local onde se reuniam interessados em apostas relacionadas com jogos de futebol. A investigação teve início em abril deste ano e durante o seu desenrolar foram apreendidas várias armas (Pistolas, revólveres, fuzis). Os presos foram encaminhados à Penitenciária Industrial regional do Cariri- PIRC, em Juazeiro do Norte/CE, à disposição do Juízo da Comarca de Missão Velha/CE.

Todos os envolvidos vão responder por crimes de assalto (Artigo 157 e parágrafos 1º e 2º do Código Penal e artigo 1º e 2º, caput da Lei 12.850/2013- Lei de Organizações Criminosas). As diligências deverão prosseguir no sentido de prender cinco integrantes da Organização Criminosa que ainda não foram localizados.

NOMES DO PRESOS:
01-JOSIEL DE ALMEIDA – recolhido no Presídio de Paulo Afonso/BA;
02-DENILSON DA SILVA ANTUNES – recolhido a Penitenciária de Petrolina/PE;
03-CLEITON PEREIRA DA SILVA – recolhido ao Presídio de Salgueiro/PE;
04-JOSÉ SALVIANO ARCOVERDE NETO – recolhido a Presídio de Arcoverde/PE;
05-EDILZO VICENTE DA SILVA – Recolhido ao Presídio de Patos/PB
06-FELIPE OLIVEIRA DE ARAÚJO – recolhido a Presídio de João Pessoa/PB;
07-ALESSANDRO P. DOS S. M. CORNÉLIO – recolhido ao Presídio de Limoeiro/PE;
08-NADELSON WISARD DOS SANTOS – recolhido ao Presídio de Juazeiro do Norte/CE;
09-HENRIQUE ROCHA DA CRUZ – recolhido ao Presídio de Juazeiro do Norte/CE;
10-GEDENILDO ROMÃO DA SILVA – recolhido ao Presídio de Juazeiro do Norte/CE;
11-FRANCISCO RENATO PEREIRA JÚNIOR – recolhido ao Presídio de Juazeiro do Norte/CE;

Compartilhe   

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

A Polícia Federal em Pernambuco prendeu em flagrante, na noite de ontem, 17/10/2017, por volta das 22h, VIVIANE DA SILVA, brasileira, desempregada, solteira, 24 anos, natural de São Paulo/SP e residente no bairro Vila União – Zona Oeste-São Paulo/SP-(não possui antecedentes criminais). A prisão aconteceu durante fiscalização de rotina destinada a reprimir o tráfico internacional de entorpecentes no Aeroporto Internacional dos Guararapes – Gilberto Freyre.

A prisão aconteceu durante fiscalização de rotina destinada a reprimir o tráfico internacional e doméstico de entorpecentes no Aeroporto Internacional dos Guararapes – Gilberto Freyre. Os Policiais Federais ao submeter algumas bagagens pelo aparelho de raios “x” da Receita Federal do Brasil, identificaram uma mala que continha em seu interior alguns objetos de formato estranho. Tal mala foi separada e a sua proprietária foi identificada e convidada a comparecer na sala da Polícia Federal onde após se submeter a uma entrevista prévia, começou a ficar nervosa e a se contradizer-se em algumas das suas respostas (sobre o valor das passagens aéreas e qual o motivo da sua viagem). A ação teve seu desfecho final quando os policiais federais ao procederem a abertura de sua mala vieram a descobrir 03  invólucros do entorpecente em formato de cápsulas e retangular escondidos em caixas de brinquedos que ao passar pelo exame narcoteste resultou positivo para a droga denominada “haxixe” (resina da maconha). A droga totalizou um peso bruto de 1,3Kg (um quilo e trezentos) gramas. O Haxixe não é produzido no Brasil e pela forma de apresentação a droga é oriunda do oriente e norte da África.

Terminado os trabalhos investigativos e tendo sido toda a droga encontrada o suspeito recebeu voz de prisão em flagrante foi informado dos seus direitos e garantias constitucionais e levado para a sede da Polícia Federal no Cais do Apolo, onde acabou sendo autuado pela prática do crime contido no artigo 33 e 40 inciso I da Lei nº 11.343/2006 (tráfico internacional de entorpecentes) e caso seja condenada poderá pegar penas que variam de 5 a 20 anos de reclusão. Após a autuação, a presa realizou Exame de Corpo de Delito no IML-Instituto de Medicina Legal, onde irá passar na tarde de hoje pela audiência de custódia e caso seja confirmada sua prisão preventiva será encaminhada para a Colônia Penal Feminina onde ficará à disposição da Justiça Federal/PE. Além da droga também foram apreendidos cartão de embarque, passaporte, dois aparelhos celulares e quantia de R$ 932,00 reais e € 40 Euros. Em conversa com os policiais a presa confirmou que recebeu a droga em Lisboa/Portugal para trazer para o Brasil, porém não disse quanto recebeu pelo transporte, quem lhe entregou a droga e a quem deveria repassá-la quando chegasse no Brasil, se reservando ao direito de permanecer em silêncio;

Compartilhe   
'

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

A Polícia Federal e a Secretaria de Defesa Social através da Polícia Civil de Pernambuco assinaram ontem dia 10/10/2017 na sede da Polícia Federal um acordo de cooperação técnica que permite a integração dos acervos de registros de armas existentes em ambas as instituições. Esse acordo viabilizará a consulta ao SINARM-Sistema Nacional de Armas um programa de estado, instituído pela Ministério da Justiça que é administrado pela Polícia Federal com circunscrição em todo o território nacional e que correspondia a uma demanda histórica da Polícia Judiciária Estadual.

Agora, os Policiais Civis de Pernambuco passarão por capacitação para poder cadastrar diretamente no sistema as ocorrências registradas nas Delegacias de Polícia Civil em todo o Estado de Pernambuco, bem como consultar dados sobre armas apreendidas, roubadas, extraviadas, e furtadas em todo o Estado de Pernambuco.

A Polícia Federal oferecerá o acesso ao banco de dados do Sistema Nacional de Armas, disponibilizará senhas individuais para fins de consulta e lançamento de ocorrências cadastrando servidores da Polícia Civil designados para tal finalidade e que estejam lotados nas diversas delegacias ou unidades centrais. Também fornecerá instruções, esclarecimentos e capacitação aos policiais civis designados para receber, processar e inserir dados no sistema referentes a ocorrências com armas de fogo.

A Polícia Civil indicará as delegacias e unidades bem como os servidores que passarão por treinamento e terão acesso ao sistema através de senhas e viabilizará as condições tecnológicas para adequação de forma a permitir o cadastramento das ocorrências e as consultas zelando pela adequada utilização dos dados e informações de modo a preservar o caráter sigiloso e reservado dos dados.

Desta forma haverá uma maior rapidez no lançamento das informações com relação às ocorrências envolvendo armas de fogo bem como uma maior abrangência ao acesso de um número de policiais que efetuarão tais consultas que são de extrema importância numa investigação policial.

O objetivo e que tal implementação ocorra o mais rápido possível através de reuniões constantes que acontecerão entre as equipes de ambas os órgãos. O prazo da vigência deste acordo será permanente sem nenhuma contraprestação financeira entre ambos os órgãos e as despesas decorrente desta integração se dará com dotações orçamentárias própria de ambas as partes. Participaram da assinatura do Acordo o Chefe da Polícia Civil de Pernambuco, Joselito Kehrle do Amaral e o Superintendente Regional da Polícia Federal em Pernambuco Marco Aurélio Faveri

Compartilhe   

terça-feira, 10 de outubro de 2017

A Polícia Federal em Pernambuco prendeu em flagrante, na tarde de ontem, 09/10/2017, por volta das 15h, LUCAS PEREIRA DOS SANTOS, brasileiro, vidraceiro, casado, 22 anos, natural e residente em Porto Velho/RO-(possui antecedentes criminais – já foi por agressão ficando detido por 2 dias). A prisão aconteceu durante fiscalização de rotina destinada a reprimir o tráfico internacional de entorpecentes no Aeroporto Internacional dos Guararapes – Gilberto Freyre. Os Policiais Federais ao fazer a análise das bagagens de porão de um voo proveniente de Belo Horizonte/MG com diversas conexões perceberam que em uma das bagagens havia a presença de 04 invólucros encobertos por um fundo falso.

O proprietário da bagagem foi identificado e separado para uma entrevista prévia na Delegacia de Imigração da Polícia Federal no aeroporto, o qual estava aparentando bastante nervosismo, impaciência e inquietação ao se deparar com os procedimentos executados pelos policiais. Ao ser questionado acerca de alguns aspectos de sua viagem ele começou a se contradizer em algumas das suas respostas, (sobre o valor das passagens aéreas e qual o motivo da sua viagem). A ação teve seu desfecho final quando os federais separaram a sua mala e ao proceder sua abertura vieram a descobrir 04 invólucros num fundo falso que ao passar pelo exame narcoteste resultou positivo para cocaína. A droga totalizou um peso bruto de 4.2Kg (quatro quilos e duzentos) gramas. Terminado os trabalhos investigativos e tendo sido toda a droga encontrada LUCAS recebeu voz de prisão em flagrante foi informado dos seus direitos e garantias constitucionais e levado para a sede da Polícia Federal no Cais do Apolo, onde acabou sendo autuado pela prática do crime contido no artigo 33 c/c 40, inciso I e V da Lei nº 11.343/2006 (tráfico interestadual de drogas) e caso seja condenado poderá pegar penas que variam de 5 a 15 anos de reclusão.

Após a autuação, o preso realizou Exame de Corpo de Delito no IML-Instituto de Medicina Legal e em seguida foi encaminhado para a audiência de custódia onde foi efetivado a sua prisão preventiva sendo logo em seguida conduzidos para o COTEL-(Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna) onde ficará à disposição da Justiça Estadual/PE. Além da droga também foram apreendidos passagens aéreas e um aparelho celular.

Em seu interrogatório o conduzido informou que sabia que estava transportando cocaína e que embarcou em Porto Velho/RO com a droga tendo seu destino final Natal/RN onde entregaria a cocaína para o traficante que havia lhe contratado e por esse serviço de transporte receberia a importância de R$ 3.000,00 (três mil reais). Disse ainda que essa seria a primeira vez que estava transportando material entorpecente para outro estado.

Compartilhe   

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Dez toneladas da droga foram apreendidas no Brasil e no exterior

Itajaí e Joinville/SC – Nesta manhã, a Polícia Federal, em conjunto com a Receita Federal, deflagra as Operações Oceano Branco e Contentor, que visam o desmantelamento de grupos criminosos voltados ao tráfico internacional de cocaína por portos marítimos catarinenses.
Cerca de 450 policiais federais e 25 servidores da Receita cumprem simultaneamente 104 mandados de busca e apreensão, 45 mandados de prisão preventiva, 15 de prisão temporária, 12 conduções coercitivas e diversos sequestros de bens móveis e imóveis, além do bloqueio de contas bancárias, nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Pernambuco, Paraíba e Rio de Janeiro.

As investigações demonstraram que as quadrilhas atuavam de forma similar, inserindo clandestinamente cargas de entorpecente em contêineres com mercadorias lícitas a serem exportadas, via de regra, para países europeus. Nas duas operações houve apreensões de droga no país e no exterior, em procedimentos de cooperação policial internacional.

A Operação Contentor, iniciada no final de 2016 na Delegacia de Polícia Federal em Joinville/SC, levou a cinco grandes apreensões de drogas, inclusive no exterior (Bélgica), totalizando cerca de 2 toneladas de cocaína. No curso da investigação, apurou-se que o entorpecente era adquirido em região de fronteira, notadamente com a Bolívia, e entrava no Brasil em pequenos aviões que pousavam no aeroclube de São Francisco do Sul/SC. De lá, era levado para chácaras onde era acondicionado em grandes bolsas para posterior inserção em contêineres que sairiam pelo Porto de Itapoá. As ordens judiciais da Operação Contentor estão sendo cumpridas nos municípios de Joinville/SC, São Francisco do Sul/SC, Itapoá/SC, Garuva/SC, Santos/SP, São Paulo/SP, Recife/PE, João Pessoa/PB e Rio de Janeiro/RJ.

Já a Operação Oceano Branco, iniciada em março de 2016 na Delegacia de Polícia Federal em Itajaí/SC, apreendeu 6 toneladas de cocaína em 12 diferentes ações, 6 no Brasil e 6 no exterior (Bélgica, França e Espanha). A investigação apurou que 3 grupos criminosos vinham embarcando volumosas quantidades da droga através de contêineres que partiam do Complexo Portuário Itajaí-Navegantes, escondida em cargas de mercadorias como bobinas de aço, abacaxi em latas e blocos de granito. Além das apreensões referidas, foi possível vincular a atuação dos investigados a outros carregamentos interceptados por autoridades policiais na Itália, Dinamarca, Espanha, Arábia Saudita e Turquia, totalizando outras 2,5 toneladas da droga. As ordens judiciais da Op. Oceano Branco estão sendo cumpridas nos municípios de Itajaí/SC, Balneário Camboriú/SC, Navegantes/SC, Itapema/SC, Penha/SC, Tijucas/SC, Florianopolis/SC, São Francisco do Sul/SC, Joinville/SC e Imbé/RS.

Nos inquéritos policiais instaurados, os investigados poderão ser indiciados pelos crimes de tráfico e associação ao tráfico internacional de entorpecentes, bem como falsificação de documentos e uso de documentos falsos. As penas para cada evento de tráfico internacional podem chegar a 25 anos de prisão, além de 10 anos de reclusão por associação.

Compartilhe   

segunda-feira, 09 de outubro de 2017

A Polícia Federal cumpriu, na noite do dia 06/10/2017 a decisão da Justiça Federal que determinou que fosse garantida a segurança e embarque de ANGELINA MAALUE AVALON MATHIESEN e seus dois filhos menores em voo internacional com destino à Dinamarca. O embarque em voo internacional é parte integrante da medida de busca e apreensão das crianças com finalidade de propiciar retorno imediato ao convívio de seus pais na Dinamarca de onde Angelina teria saído ilegalmente em 2016. A Convenção de Haia de 1980, que fundamentou a decisão da Justiça Federal, tem como objetivos: “a) assegurar o retorno imediato de crianças ilicitamente transferidas para qualquer Estado Contratante ou nele retidas indevidamente; b) fazer respeitar de maneira efetiva nos outros Estados Contratantes os direitos de guarda e de visita existentes num Estado Contratante”.

O cumprimento da decisão judicial foi coordenado pela Polícia Federal do Pará, com participação da Polícia Federal do Ceará e Pernambuco. Ela estava com suas duas filhas em Belém/PA onde foi localizada pela Polícia Federal e tomou ciência a da decisão judicial da busca e apreensão das crianças. A dinamarquesa juntamente com suas duas filhas embarcou no aeroporto de Belém, fez escala em Fortaleza e desembarcou em Recife onde houve a troca da aeronave seguindo imediatamente para a Dinamarca.

ENTENDA O CASO: Angelina é mãe de Aia Sofia com Peter Alexander Lawaetz, e também de Leonardo Todorovski, cujo pai é Vladimir Valiant Todorovski. Angelina e Lisbeth fugiram para o Brasil por se sentirem desamparadas pela lei da Dinamarca. Para viajar ao Brasil, elas partiram de carro pelas estradas da Europa e atravessaram vários países. Lisbeth saiu primeiro, em julho de 2015. Pegou um avião em Viena e passou pela República Dominicana, seguiu até o Peru e, por fim, até o Acre, por onde entrou no Brasil. Já Angelina fugiu depois, em março de 2016. Cruzou o Atlântico até a Guiana e, de lá, por Roraima.

Elas se encontraram em Manaus e decidiram vir juntas para Belém. A viagem foi feita de barco e durou cinco dias. As duas decidiram se estabelecer na ilha de Mosqueiro, localizada a 72 km de Belém, um balneário com 28 mil habitantes. Angelina e Lisbeth procuraram uma região da ilha que tivesse pouca gente morando. O refúgio delas foi na praia de Marauh, onde se hospedaram em uma pousada de frente para o rio. Na pousada, elas se identificaram como holandesas, disseram que eram irmãs, e que vieram ao Brasil para escrever um livro.

Angelina estava ilegal no Brasil porque havia ultrapassado o prazo de 45 dias a que ela teria direito como turista. Em dezembro/2016, a Justiça Federal determinou a prisão de Angelina para que ela fosse extraditada. Quando os policiais federais estiveram em Mosqueiro, procurando Angelina, porém, Lisbeth já havia decidido ir embora. Porém no caso de Angelina em virtude de sua advogada ter conseguido um habeas corpus no dia 21/03/2016 pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, a prisão dela não foi efetuada na época, até que com a decisão final da Justiça Federal, baseada na convenção de Haia Angelina com os dois filhos embarcaram para a Dinamarca.

Compartilhe