| PORTAL AGRESTE VIOLENTO

PM CONECTADO

Águas Belas (87) 99919.2115
Angelim (87) 99979.3204
Bom Conselho (87) 98101.7402
Brejão (87) 98101.8739
Caetés (87) 98146.4946
Canhotinho (87) 99612.2683
Capoeiras (87) 9.9819-5367
Calçado (87) 98116.4066
Correntes (87) 98134.0114
Garanhuns (87) 98139.1576
Jupi (87) 99962.2743
Jucati (87) 98111.2481
Lajedo (87) 9.8144-9320
Lagoa do Ouro (87) 991794150
Paranatama (87) 98121.5364
Palmeirina (87) 98143.4566
São João (87) 98116.1430
Terezinha (87) 98124.0865

Rádios e Parceiros

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Dois homens foram assassinados na tarde desta quarta-feira (19), no município de Sirinhaém, na Zona da Mata de Pernambuco.

A PM informou que dois elementos em uma moto é que praticaram o crime, eles teriam se aproximado das vítimas e efetuado vários disparos de arma de fogo, José Luiz da Silva, de 23 anos e Josenildo José Ferreira da Silva, de 23 anos, não resistiram aos ferimentos e morreram no local.

Os corpos foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife, o caso será investigado pela Delegacia de Sirinhaém.

Compartilhe   

quinta-feira, 20 de julho de 2017

A Polícia Federal de Alagoas deflagrou na manhã desta quinta-feira (20) a Operação ASTAROTH para investigar uma suposta organização criminosa que teria desviado aproximadamente R$ 6 milhões da Prefeitura Municipal de Marechal Deodoro. As verbas eram oriundas do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar e Programa Nacional de Alimentação Escolar, além do grupo ter praticado lavagem de dinheiro. A operação possui desdobramento nos estados de Pernambuco e Maranhão.

Um dos alvos da operação foi o ex-prefeito de Marechal Deodoro, Cristiano Matheus, no bairro da Ponta Verde. A Operação cumpriu 17 mandados de busca e apreensão e de sequestro de bens dos municípios de Maceió, Santana do Ipanema, Marechal Deodoro e Pão de Açúcar. Foram empregados cerca de 100 policiais federais para o aludido cumprimento.

EM PERNAMBUCO foram cumpridos 02 mandados de busca e apreensão na residência de dois suspeitos, no município de São Benedito do Sul, distante 150km da capital pernambucana, porém nada foi arrecadado e apreendido que fosse relevante para as investigações.

Compartilhe   

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Policiais Militares lotados no 6º BPM – Batalhão de Polícia Militar que fica situado na Estrada da Batalha s/n – Prazeres/PE, prenderam, na segunda-feira, dia 17/07/2017, por volta das 8h, um empresário, 39 anos, casado, natural de Porto Alegre/RS e residente em Candeias/PE – (não possui antecedentes criminais) e um motorista, 36 anos, casado, natural do Rio de Janeiro/RJ e residente no Jordão Alto/PE – (não possui antecedentes criminais). A prisão aconteceu em virtude de denúncias recebidas por policiais militares lotados no 6º BPM de moradores da localidade dando conta da existência de um comércio de cigarros contrabandeados num imóvel situado naquelas cercanias. De posse dessas informações os militares se deslocaram para o local suspeito e lá chegando constataram ser um imóvel residencial, o qual tinha como morador um motorista que franqueou o acesso dos policiais ao interior da residência e ao ser feita uma busca encontrou-se cigarros estrangeiros de diversas marcas e desacompanhados de documentação legal que estavam dentro de um baú de uma motocicleta! Ao ser detido o motorista informou que havia adquirido os cigarros para revenda de um gaúcho e através de uma nota fiscal encontrada no local verificou-se o endereço da pessoa que seria o possível revendedor dos maços de cigarros.

A equipe dos militares se deslocaram para Candeias/PE, cujo endereço constava na nota e lá chegando, os militares tiveram acesso ao apartamento, autorizado pelo seu morador, um empresário, e ao ser feita uma busca no interior do imóvel, foi encontrado mais 14 caixas de cigarros de diversas marcas, todos de origem estrangeira. Terminado os trabalhos de polícia ostensiva e tendo sido encontrado os cigarros irregulares, ambos os suspeitos, receberam voz de prisão em flagrante, foram informados dos seus direitos e garantias constitucionais e em seguida por se tratar de crime de competência da Polícia Federal, foram levados para a Superintendência Regional da Polícia Federal, que fica localizada na Rua Cais do Apolo, 321, Bairro do Recife Antigo, para as formalidades legais de Polícia Judiciária, tendo sido autuados em flagrante pela prática contida no artigo 334 § 1º, inciso “v” do Código Penal (Contrabando: importar ou exportar mercadoria proibida e vender ou manter em depósito mercadoria proibida por lei brasileira) e, caso venham a ser condenados poderão pegar penas que variam de 2 a 5 anos de reclusão). Após a autuação, os presos realizaram exame de corpo de delito no IML-Instituto de Medicina Legal, passaram pela audiência de custódia e em seguida foram conduzidos para o COTEL-Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna onde ficarão à disposição da Justiça Federal/PE

Neste tipo de prática criminosa tais infratores sempre estão ligados à sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e corrupção de agentes públicos. Há toda uma rede organizada por trás do contrabando quais sejam: fabricantes, depósitos, rede de distribuição e vendedor final. Cada mercadoria que entra no país sem recolher o devido imposto representa um produto a mais no mercado formal que deixou de ser vendido. Assim, deixa-se de arrecadar impostos com recursos que poderiam ser investidos na saúde, educação, segurança e habitação, além de gerar desemprego com a demissão de funcionários e fechamento de lojas em virtude da concorrência desleal pelos preços que são aplicados bem abaixo do mercado (as empresas que contratam seus funcionários pagam todos os encargos trabalhistas como férias, 13º salário, plano de saúde, indenização por tempo de serviço), enquanto que tais infratores não tem compromisso com nada disso.

AUMENTO DA PENA PARA O CRIME DE CONTRABANDO:
No dia 27.06.2014 a ex-Presidente Dilma Rousseff sancionou a lei que aumenta a punição para o crime de contrabando. A nova legislação, elevou a pena que era de 1 a 4 anos de prisão para 2 a 5 anos. Antes quem era preso com contrabando pagava fiança e respondia ao processo em liberdade, agora quem for preso com cigarros contrabandeados não terá o benefício da fiança e irá direto para o presídio, caso seja confirmada a prisão na audiência de custódia. A lei sancionada prevê ainda que a pena para o crime de contrabando seja dobrada nos casos em que o ato ilícito for cometido por meio do transporte aéreo, marítimo ou fluvial. Esta é a primeira apreensão de cigarros contrabandeados onde a Polícia Federal procedeu a autuação em flagrante em Recife/PE.

Compartilhe   

segunda-feira, 17 de julho de 2017

A Polícia Federal em Pernambuco prendeu em flagrante na manhã do dia 08/07/2017 por volta das 11h, um economista, separado, de 67 anos, natural e residente em Goiânia/GO-(não possui antecedentes criminais).

A prisão aconteceu durante fiscalização de rotina realizada pelos Agentes de Proteção da Aviação Civil, no embarque doméstico, quando perceberam através do aparelho de raios x, a existência de 08 munições 9mm de calibre restrito, e 01 munição .32 de calibre permitido dentro da bagagem de mão de um passageiro que tinha como destino final o aeroporto de Guarulhos/SP.

Ao ser descoberta as munições a Polícia Federal foi acionada e de pronto procedeu uma busca no interior de sua bagagem onde realmente foi constatada a existência das munições de calibre restrito e permitido, porém não foi encontrada nenhuma arma de fogo.

Terminado os trabalhos investigativos e tendo sido toda a munição apreendida, o economista recebeu voz de prisão em flagrante foi informado dos seus direitos e garantias constitucionais e levado para a sede da Polícia Federal no Cais do Apolo, onde acabou sendo autuado pela prática do crime contido no artigo 16 da Lei nº 10.826/2003 – (manter sob sua guarda munição de USO PROIBIDO OU RESTRITO, sem autorização e em desacordo com determinação legal – pena: 3 a 6 anos de reclusão, além de multa).

O crime por ensejar penas de até 6 anos de reclusão não cabe fiança por parte da Autoridade Policial, por isso, após a autuação, o preso realizou Exame de Corpo de Delito no IML-Instituto de Medicina Legal e em seguida foi conduzido para a audiência de custódia e liberado em seguida, onde responderá ao processo em liberdade.

Em seu interrogatório o economista informou que é aposentado e trabalha CELG-Companhia Energética de Goiás e que havia viajado de férias com sua família para Maragogi/AL. Disse ainda que nunca havia possuído arma de fogo e que tais munições haviam sido dadas para ele por um cozinheiro que era policial militar durante uma pescaria em Mato Grosso.

ESTATÍSTICAS DE APREENSÃO DE MUNIÇÕES NO AEROPORTO:

Este já é o segundo caso de descoberta de munições em bagagens de mão no Aeroporto dos Guararapes.

O primeiro caso ocorreu em 01.05.2017, onde foi preso um farmacêutico de 40 anos, que é funcionário público estadual de Cumaru/PE por volta das 13:30h, quando estava transportando 12 munições .38 de calibre permitido.

Na ocasião o suspeito pagou uma fiança no valor de R$ 5 mil reais e foi liberado para responder pelo crime em liberdade.

A fiança nesse caso só foi possível em virtude do crime de manter sob sua guarda munição de USO PERMITIDO, sem autorização e em desacordo com determinação legal tem penas de 2 a 4 anos de reclusão, por isso a concessão da fiança.

ALERTA DA POLÍCIA FEDERAL E DA INFRAERO SOBRE CONTEÚDO DE BAGAGENS:

Com o objetivo de alertar os passageiros e a população de um modo geral quando forem embarcar com bagagens de mãos nos aeroportos, que se faz necessário checar o que está levando para não correr o risco de ser autuado, ter os objetos retidos ou até mesmo preso pela Polícia Federal!

As munições e armas de calibre permitido ou proibido, os seus possuidores tem que ter autorização legal (porte e registro) para puder transportá-las e todas as vezes que for embarcar deverá procurar a Delegacia de Imigração da Polícia Federal, a fim de que sejam feitos todos os procedimentos legais para que a arma ou munição seja legalmente transportada.

A INFRAERO possui Agentes de Proteção altamente treinados e capacitados para detectar qualquer tipo de material suspeito, proibido ou que possa colocar em risco a integridade física, a vida e a segurança dos passageiros quando estão embarcando com suas bagagens de mão, dirigindo-se para embarque na aeronave.

A resolução nº 207 de 2011 da ANAC- Agência Nacional de Avião Civil, proíbe terminantemente o ingresso de passageiros levando objetos para dentro do avião tais como: facas, martelos, estiletes, canivetes, tesouras, furadeiras, fogos de artifícios, armas de fogo e simulacros, munições, arcos e flechas, estilingues, dispositivos de choques, gases químicos neutralizantes e produtos tóxicos, bebidas com lacres violados ou sem rótulo que especifique a substância.

É extremamente importante que os passageiros possam colaborar com os agentes de proteção nas revistas e orientações a fim de que todos os requisitos de segurança sejam rigorosamente observados para que a viagem aérea possa sempre ocorrer visando a segurança de todos!

Compartilhe   

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Foi assassinado a tiros por volta das 8 e meia da manhã desta quarta-feira (12), na Avenida do Quilombo, no bairro Quilombo 2, em Palmares. Ele foi levar a enteada no trabalho e quando estava voltando pra casa guiando a sua motocicleta foi morto a tiros.

Jailton, que trabalhava como motorista, foi preso há dois anos com 22 quilos de maconha e saiu do presídio há três meses. A Polícia Civil investiga se há ligação entre a sua prisão e o assassinato, inclusive o elemento que caiu com ele nesse tráfico foi assassinado há dois meses.

O corpo da vítima foi encaminhado para o IML de Caruaru.

Compartilhe   

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Teve início na última segunda-feira (10) o Curso de Formação de Sargentos (CFS), da Polícia Militar de Pernambuco, uma iniciativa que integra o programa de valorização da carreira policial, que amplia a possibilidade de promoção a seus profissionais. Ao todo, são 1.515 cabos dos mais antigos da Corporação que estão de volta à sala de aula, sendo aperfeiçoados e atualizados. Eles também estão ficando alinhados com o Curso de Formação de Praças, atualmente em curso, com o nivelamento dos conhecimentos

O Curso de Formação de Sargentos está distribuído em quatro pontos: Campus Recife, no Colégio da Polícia Militar, com 1.197 alunos; o Campus Caruaru, na Faculdade Maurício de Nassau, com 163 alunos; o Campus Serra Talhada, no 14º BPM; e o Campus Petrolina, com 60 alunos.

Ao final do curso, esse grupo estará apto à promoção a sargento, à medida em que forem surgindo as vagas e estará inserido à filosofia do comando da corporação, de que formação e capacitação precisam ser constantes na carreira do policial militar.

Compartilhe   

sexta-feira, 07 de julho de 2017

Um homem foi assassinado na noite desta quinta-feira (6), no município de Sirinhaém, na Zona da Mata pernambucana.

João Ambrósio de Barros Filho, de 42 anos, participava de uma bebedeira quando se desentendeu com dois elementos que são irmãos, eles teriam golpeado ele com um pé de cabra na região da cabeça, João não resistiu a gravidade das lesões e veio a óbito no local.

Após o crime os irmãos fugiram tomando destino ignorado, a Polícia Civil realizou o levantamento do local do crime e encaminhou o corpo para o Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife.

Compartilhe   

quinta-feira, 06 de julho de 2017

Um rapaz foi assassinado na noite da última terça-feira (4), em Palmares, na Mata Sul de Pernambuco.

O crime aconteceu no bairro Nilton Carneiro, de acordo com a Polícia Civil, elementos armados e encapuzados efetuaram vários disparos de arma de fogo em Francisco José da Silva, de 20 anos, ele foi alvejado diversas vezes, não resistiu e veio a óbito no local.

Após o crime os assassinos desapareceram e ainda não foram identificados, segundo informações a vítima era usuária de drogas, o corpo foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal, o caso está sendo investigado pela 18ª Delegacia de Homicídios de Palmares.

Compartilhe   

segunda-feira, 03 de julho de 2017

NOTA NACIONAL: A Polícia Federal realizou no dia 30/06, a Operação “Segurança Legal” em todas as suas unidades no país para fiscalizar serviços de segurança irregular e as empresas que deles façam uso. Cerca de 500 Policiais federais realizaram fiscalizações para combater empresas atividades clandestinas de segurança privada. A operação foi realizada durante todo o dia em todos os vinte e sete Estados da Federação e visa encerrar definitivamente as atividades de empresas que executam segurança privada sem a devida autorização. Os policiais pretendem alcançar pelo menos 10% das empresas em atividade de segurança no País. A contratação de serviços clandestinos de segurança privada coloca em risco a integridade física e patrimônio dos tomadores do serviço, vez que esses seguranças, não são checados pela Polícia Federal quanto aos seus antecedentes criminais, formação, aptidão física e psicológica. Os equipamentos utilizados na segurança pública irregular podem, também, ser oriundos de outras atividades ilícitas como armas e munições de origem irregular ou contrabandeadas.

No Brasil, existem mais de 2.500 mil empresas de segurança privada legalizadas. No entanto, avalia-se que o número de companhias clandestinas que atuam no setor seja quase o dobro desse número, causando a chamada “concorrência predatória”. Estima-se que o serviço clandestino de segurança privada movimente por ano a quantia em torno de 60 bilhões de reais, valor que escapa também ao recolhimento de tributos além de ser produto, quase na totalidade dos casos, de uma violação flagrante dos direitos trabalhistas por meio de postos informais de trabalho. Além disso, os profissionais – vigilantes – devem realizar o curso de formação de vigilantes em escola autorizada pela Polícia Federal e possuir cadastro na instituição. Outro fato constatado pelos investigadores foi o alto número de agentes públicos envolvidos com a segurança privada irregular, na sua maioria policiais ou outros agentes da segurança pública. Chamou atenção o número de mortes de servidores da segurança pública fora de serviço e que, em número considerável, estariam exercendo atividades privadas de segurança privada de forma irregular. A prática da atividade clandestina de segurança privada configura crime previsto no artigo 205 do código penal cuja por “exercer atividade, de que está impedido por decisão administrativa” cuja pena é a de prisão de 3 meses a 2 anos, bem como o de desobediência previsto no artigo 330 também do código penal por “desobedecer a ordem legal de funcionário público” cuja pena é de 15 dias a 6 meses de prisão, tais penalidades também atingem o tomador de serviço que insista na contratação irregular.

AÇÕES EM RECIFE: A Polícia Federal em Pernambuco, em cumprimento à Operação Segurança Legal, coordenada pela Divisão de Controle e Fiscalização de Segurança Privada (DICOF), órgão da Coordenação-Geral de Controle de Segurança Privada (CGCSP), fiscalizou empresas de segurança privada clandestinas nas circunscrições da Superintendência Regional, da Delegacia de Caruaru e da Delegacia de Salgueiro. Em Recife e Região Metropolitana, foram encerradas duas empresas clandestinas. Uma delas, inclusive, fazia a segurança de um Shopping em Paulista/PE (já procuraram a Polícia Federal, e estão agilizando todo o procedimento para regularização) e a outra em Boa Viagem que estava desenvolvendo serviços num Hortifruti e também em um hotel. Caso queiram continuar a prestar serviços de segurança privada, as empresas foram orientadas a entrar com o respectivo requerimento de autorização de funcionamento à Polícia Federal.

Todas as empresas que desejarem prestar serviço de segurança privada, seja armada ou desarmada, precisam de autorização da Polícia Federal. As empresas devem cumprir todos os requisitos previstos na legislação, e entrar com um pedido de autorização de funcionamento à Polícia Federal. A Polícia Federal fará uma vistoria na sede da empresa, e, preenchidos os requisitos, expedirá alvará de autorização de funcionamento, que será renovado anualmente, com novas vistorias na empresa. As empresas clandestinas atuam sem cumprir necessariamente os requisitos estabelecidos na legislação, e fazem concorrência desleal com as empresas legalizadas.

Compartilhe   

sábado, 01 de julho de 2017

ALERTA CELULAR SDS PE

Compartilhe