CONSELHO AMBIENTAL FORMULA ESTUDO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS PARA COMPENSAÇÃO QUE SERÁ FEITA EM LAJEDO APÓS DUPLICAÇÃO DA BR-423 | Agreste Violento

PM CONECTADO

Águas Belas (87) 99919.2115
Angelim (87) 99979.3204
Bom Conselho (87) 98101.7402
Brejão (87) 98101.8739
Caetés (87) 98146.4946
Canhotinho (87) 99612.2683
Capoeiras (87) 9.9819-5367
Calçado (87) 98116.4066
Correntes (87) 98134.0114
Garanhuns (87) 98139.1576
Jupi (87) 99962.2743
Jucati (87) 98111.2481
Lajedo (87) 9.8144-9320
Lagoa do Ouro (87) 991794150
Paranatama (87) 98121.5364
Palmeirina (87) 98143.4566
São João (87) 98116.1430
Terezinha (87) 98124.0865

Rádios e Parceiros

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Reativado este ano, o COMDEMA (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente) se reuniu hoje, 10, para formular as propostas para o município que será afetado pela duplicação da BR 423, realizada pelo Governo Federal. O Conselho é formado por representantes do governo, técnicos e sociedade e tem como missão principal analisar o EIA – Estudo dos Impactos Ambientais que implica na compensação da vegetação municipal.

Uma das primeiras tarefas dos novos integrantes do COMDEMA de Lajedo eleitos em outubro, é analisar o EIA para enviar um RIMA (Relatório de Impacto Ambiental) ao Governo do Estado com as principais necessidades quanto a vários requisitos inerentes à duplicação que corta Lajedo. Outro ponto principal desse relatório é onde será feita a compensação da vegetação exótica que será derrubada pela União para construção da duplicação.

“Precisamos decidir várias questões importantes agora, para em breve fazermos uma audiência pública na qual a população vai deferir ou não as mudanças”, explicou Andréa Félix, gestora da Escola Ambiental de Lajedo. Nesse relatório é necessário que a população lajedense seja participante ou coparticipante de acordo com exigência do CONAMA (Conselho Nacional de Meio Ambiente).

A compensação das árvores exóticas, que é o ponto principal discutido pelo Conselho, será feita no Aterro Sanitário de Lajedo (decretado pela CPRH) que será o suporte municipal contendo um viveiro educativo e de produção. Como sugestão, o COMDEMA insinuou que a compensação seja feita também nas margens dos riachos da Prata e Doce dentro da área dos Caldeirões, além do perímetro urbano com árvores nativas. Ainda sobre o paisagismo, será sugerida cortina verde, revitalização dos acessos e rotatórias e etc., de acordo com aprovação do grupo de engenheiros ambientais do município.

Entre outros fatores que serão ainda discutidos na audiência estão:  iluminação da duplicação, passarelas humanizadas, lombadas, ciclovias, calçadões, sinalização na BR e nas margens e acesso a povoados.

O novo Conselho para o primeiro biênio tem como presidente Julieta Bezerra, vice Thayse Diniz e secretária-executiva Letícia Cavalcante.

Compartilhe